Arquivo da tag: poesia

Menção honrosa no VII Prêmio Paulo Britto

FacebooktwitterpinterestlinkedintumblrmailFacebooktwitterpinterestlinkedintumblrmail

Os textos vencedores do VII Prêmio Paulo Britto de Prosa e Poesia, já estão lá no blog do Plástico Bolha. Tem o “Tireoide”, vencedor de poesia, da Maíra Fernandes de Melo e o
“A casa Queima”, (prosa), da Clarisse Zarvos – ambos mais que merecidos!

E tem também “Extração de minérios” um poema meu que ganhou menção honrosa.
É, um poema – também ainda não me recuperei do choque.

Segue abaixo para quem tem preguiça de abrir link:

Extração de Minérios

Toda palavra
pedra bruta

Toda palavra
minério explode

jazidas

lavra
até o fino brilho do metal
precioso da terra

[e permanece selada
sem poros – rocha]

Leia todos os textos vencedores aqui 

A Voice ( Tadeusz Różewicz)

FacebooktwitterpinterestlinkedintumblrmailFacebooktwitterpinterestlinkedintumblrmail

They mutilate they torment each other
with silences with words
as if they had another
life to live

they do so
as if they had forgotten
that their bodies
are inclined to death
that the insides of men
easily break down

ruthless with each other
they are weaker
than plants and animals
they can be killed by a word
by a smile by a look

(Tadeusz Różewicz  | tradução: Czeslaw Milosz))

Minha vida como bactéria, de Anibal Cristobo

FacebooktwitterpinterestlinkedintumblrmailFacebooktwitterpinterestlinkedintumblrmail
Minha vida como bactéria, de Anibal Cristobo (7Letras, 2014)
Minha vida como bactéria, de Anibal Cristobo (7Letras, 2014)

Minha vida como bactéria, de Anibal Cristobo, é a edição bilíngue dos poemas de Krakatoa, publicado originalmente pela editora argentina Zindo & Gafuri, 2012. Na tradução das poetas Marilia Garcia e Luciana de Leone, os versos de Anibal fluemcom vivacidade e verdade no ritmo e no som do português, revelando seus experimentos, jogos e movimentos para os leitores brasileiros.

Continue lendo Minha vida como bactéria, de Anibal Cristobo